A ‘caixa-preta’ do BNDES – mais do mesmo | Ecoa
Menu

A ‘caixa-preta’ do BNDES – mais do mesmo

Dados divulgados na última sexta-feira (18), já estavam disponíveis desde 2015

Logo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Foto: Sergio Moraes/Reuters
Publicado em 21 de janeiro de 2019 às 12:05 Compartilhar:

Barulho começa com tuíte: Em sua primeira semana de governo, o presidente Jair Bolsonaro informa via Twitter que sua equipe vai abrir a ‘caixa-preta’ do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). A revista Veja publica que o termo seria “em referência a suspeitas de corrupção e uso político do banco”. Em nota pública, a Associação dos Funcionários do BNDES rebate que informações sobre a aplicação de financiamentos como cliente, valor de operação, projeto apoiado, taxa de juros, prazos e garantias já são disponibilizadas desde 2015 pelo portal institucional do banco.

Lista de credores: Nomeado no último dia 7, o atual presidente do BNDES, Joaquim Levy, divulgou na sexta-feira (18), um gráfico com os 50 maiores clientes do banco - empresas que emprestaram dinheiro a juros baixos do BNDES para obras e projetos avaliados como estratégicos para o desenvolvimento do Brasil -  e o volume total de seus empréstimos. A Folha de S. Paulo avaliou a situação como uma ‘reciclagem de informações’, que não cumpre a promessa eleitoral de Jair Bolsonaro em tornar a instituição mais transparente.

Referências:

Bolsonaro diz que ‘caixas-pretas’ do BNDES e de outros órgãos serão reveladashttps://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/01/bolsonaro-diz-que-caixas-pretas-do-bndes-e-de-outros-orgaos-serao-reveladas.shtml

AFBNDES: Nota de esclarecimento à imprensahttp://www.afbndes.org.br/notas/index.htm

BNDES divulga lista com 50 maiores tomadores de recursoshttps://veja.abril.com.br/economia/bndes-divulga-lista-com-50-maiores-tomadores-de-recursos/

BNDES recicla informações sem cumprir promessa de aumentar transparênciahttps://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/01/bndes-recicla-informacoes-sem-cumprir-promessa-de-aumentar-transparencia.shtml

Compartilhar: