Menu

Eficiência energética – Banco Mundial e Caixa Econômica Federal criam projeto para Iluminação Pública Municipal e Indústria

Projeto visa fomentar a participação de outras instituições financeiras privadas nacionais no crédito a longo prazo e, segundo BIRD, melhorando a qualidade técnica nos ditos setores

(Foto: Inézio Machado/GES)
Publicado em 7 de agosto de 2018 às 13:39 Compartilhar:

- Objetivo é substituir lâmpadas de vapor de sódio por LED e que indústrias modernizem sistemas de bombeamento, motores, fornos, etc.

- É o FinBrazeec – Instrumentos de Financiamento para Cidades Energeticamente Eficientes no Brasil.

- O esperado é atrair investimentos totais de mais de US$ 1,1 bilhão.

O Banco Mundial (BIRD) e a Caixa Econômica Federal criaram o Projeto FinBrazeec com o objetivo de promover o financiamento de eficiência energética para iluminação pública e indústrias. Visam fomentar participação de outras instituições financeiras privadas nacionais no crédito de longo prazo nos setores de Iluminação Pública Municipal e Eficiência Energética na Indústria. No site, o BIRD afirma que o propósito é “destravar” o financiamento privado para projetos na área, reduzindo o risco de crédito e melhorando a qualidade técnica. A proposta de financiamento prevê a criação de uma ‘Facility’ de Eficiência Energética (FEE), gerenciada pela Caixa Econômica Federal.

O Banco Mundial recomenda priorizar áreas com altos níveis de insegurança; ter um Plano de Ação de Gênero; que se garanta a reutilização das lâmpadas substituídas; o cumprimento das diretrizes do “Environmental and Social Management Framework”, afora outras medidas. O projeto levará em consideração a política de salvaguardas do Banco, considerada mandatória. Essa política guiará a realização de análises prévias dos impactos potenciais das intervenções.

Os recursos serão destinados para projetos nos centros urbanos para substituir completamente as atuais lâmpadas de vapor de sódio por LED. Já as indústrias poderão modernizar sistemas de bombeamento, motores, fornos e outros tipos de equipamentos. Uma justificativa é o fato de que 86% dos brasileiros vivem nas cidades.

Segundo documento da Caixa, a ‘Facility’ de Eficiência Energética terá três fontes básicas de recursos para financiamento:

1. GCF (Green Climate Fund), totalizando U$ 196 milhões;
2. A própria Caixa, com as linhas de crédito totalizando U$ 180 milhões;
3. Bancos privados nacionais, com valores estimados de aporte de U$ 400 milhões.

No total é esperado que o FinBrazeec levante mais de 1,1 bilhão de dólares. Na proposta está previsto que a Caixa terá uma linha de crédito do Banco Mundial de U$ 200 milhões para criação de um instrumento financeiro para fomentar o financiamento com os recursos de bancos privados nacionais. Uma parte dos recursos – até US$ 34 milhões – irão para assistência técnica a fundo perdido.

Compartilhar: