Menu

BNDES e as represas na BAP

As hidrelétricas na Alta Bacia do rio Paraguai (BAP)

Confira o documento elaborado pela Ecoa sobre a construção de represas na parte alta da BAP responsável por alterar os sistemas hídricos e o funcionamento biológico natural do Pantanal.

Associado a estes processos desencadeados pelo barramento dos rios surgem também os problemas econômicos e sociais, sendo o mais visível aqueles relacionados à pesca, que como é amplamente sabido, é, nas suas várias modalidades, a atividade econômica que mais gera trabalho e renda na planície pantaneira as barragens impedem a reprodução das espécies migratórias como o dourado, o pacú e outras.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) informam que hoje 44 represas já estão em operação ou em fase de implantação na região e outras 84 estão em fase de planejamento e estudos, totalizando 128.

Analisadas isoladamente – como se procede hoje para concessão de licenças ambientais – as chamadas Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) podem não apresentar impactos significativos, mas os efeitos sinérgicos do conjunto delas ou mesmo de um grupo em uma determinada sub-bacia, somado aos impactos das maiores, de porte médio e grande, são já cientificamente identificados, como apresentado anteriormente.