Menu

Oficina Sistemas Agroflorestais – ganhos econômicos, ambientais e sociais

Os SAFs possibilitam diversificar a renda e a alimentação das famílias produtoras

haroldo
Publicado em 31 de agosto de 2018 às 14:48 Compartilhar:
haroldo2

Haroldo Borges (IPÊ) ministra oficina no Ceppec (Foto: Iasmim Amiden)

Andalucia, Nioaque, MS – Julho, 2018*

Experiências vindas da região do Pontal do Paranapanema/SP somadas a pergunta “O que entendo sobre sistema produtivo sustentável?“, conduziram a oficina de Boas Práticas para Manejo de Agroflorestas, ministrada por Haroldo Borges, do Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ). A atividade aconteceu durante o encontro transfronteiriço promovido no Centro de Produção, Pesquisa e Capacitação do Cerrado (Ceppec), situado no assentamento de Andalucia, em Nioaque/MS.

Participaram representantes da Aldeia Brejão, de associações de assentamentos rurais e comunidades extrativistas do Cerrado e Pantanal e do Gobierno Autonomo Municipal de Roboré, Bolívia.

Nas experiências

citacaoharoldoFoi apresentado um panorama sobre os sistemas produtivos desenvolvidos na região do Pontal do Paranapanema – onde vivem cerca de 6 mil famílias, distribuídas em mais de 110 assentamentos -, especificamente, os chamados Sistemas Agroflorestais (SAFs). Estes combinam culturas agrícolas com espécies arbóreas e criação de animais, por exemplo. Os SAFs promovem ganhos econômicos, ambientais e sociais, pois, a diversificação também está na renda e na alimentação das famílias.

Nos Sistemas de Agroflorestas não utilizam-se agrotóxicos, sendo que o benefício é para o alimento, a saúde de quem o produz e consome e a proteção de espécies polinizadoras e seus serviços ecossistêmicos, um dos temas também tratados durante o encontro realizado no Ceppec.

Na pergunta

Uma dinâmica foi proposta para permitir quaisquer percepções de significados e práticas sobre o sistema produtivo sustentável. Cada integrante da oficina pode responder a pergunta feita por Haroldo em dois momentos: um antes e outro depois das conceituações teóricas apresentadas pelo ministrante. Deste modo, ambas as respostas estiveram na balança de avaliação da oficina que, sem menos, gerou excelentes resultados que traçaram pontos de conexão entre conservação ambiental e sustentabilidade financeira das famílias.

 

Uma grande aula…

 

 

A considerar que os SAFs também auxiliam nos processos de restauração de florestas e recuperação de áreas degradadas, a oficina interagiu com os monitores que trabalham na recuperação de áreas de nascentes nos assentamentos de Andalucia e Bandeirantes, de Miranda/MS – mais frutos do Projeto Corredor Miranda-Bodoquena: Preenchendo lacunas socioambientais.

*As atividades foram realizadas por meio do Projeto Corredor Miranda-Bodoquena – Preenchendo lacunas socioambientais, apoiado pelo CEPF/IEB e ECCOSConectando Paisajes en el Bosque Seco Chiquitano, el Cerrado y el Pantanal de Bolívia y Brasil para la Sostenibilidad del Desarrollo Productivo, la Conservación de sus valores ambientales y la Adaptación al Cambio Climático, com apoio da União Europeia.

Compartilhar: