///

Famílias quebradoras de baru em ação!

2 minutos de leitura
Foto: Altair de Souza / Ceppec

Com apoio da Fundação Banco do Brasil, a Ecoa executa o projeto ‘Cadeia Socioprodutiva do Baru: agregando renda às famílias agroextrativistas no Mato Grosso do Sul e a proteção do Cerrado’. A iniciativa conta com a parceria do Centro de Produção, Pesquisa e Capacitação do Cerrado (CEPPEC).

Dentro da articulação promovida pelo projeto, foram coletados 68.000kg de baru na última safra, com aumento de 13.000kg em relação ao ano anterior. Agora, o processamento da castanha se encontra na etapa de quebra.

Confira as imagens do processamento do baru enviadas por Preta e Altair, articuladores do projeto e coordenadores do CEPPEC. 


Agregando renda às famílias agroextrativistas e a proteção do Cerrado

O projeto em questão viabilizou o aumento no número de frutos colhidos e famílias articuladas.

A equipe de campo do projeto alcançou 100 famílias coletoras de baru, que passaram a compor a articulação. O trabalho de articulação foi feito em dez comunidades localizadas em cinco municípios diferentes: Nioaque, Anastácio, Bonito, Corguinho e Aquidauana, todos no Mato Grosso do Sul. 

O projeto promoveu a estruturação da cadeia do baru, da colheita até seu escoamento e comercialização. Para operacionalizar a produção, foram fornecidas mesas, prateleiras, notebook para controle das receitas e estoque, etc.

Além disso, a iniciativa também garantiu o aumento na capacidade de armazenamento com a compra de contêineres e equipamentos de refrigeração.

Assim, o extrativismo sustentável possibilita aliar o aumento de renda para essas famílias e a proteção do Cerrado. 

Alíria Aristides

Jornalista, Coordenadora do Núcleo de Comunicação da Ecoa e Mestranda em Comunicação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Mais recente de Blog