///

Energia solar térmica pode ajudar o Brasil a enfrentar crise energética

6 minutos de leitura
Imagem: arquivo Ecoa

Via ProcelInfo

A energia solar térmica utilizada para aquecimento de água pode ser uma ferramenta de fundamental importância para a redução do consumo de energia elétrica nos horários de ponta. Essa fonte energética, utilizada principalmente para aquecimento de água para o banho residencial, tem potencial de retirar até 30% da demanda de energia na faixa horária entre 18h00 e 21h00. A tecnologia, presente no Brasil há mais de 40 anos, ainda é pouco difundida e, se utilizada em larga escala, pode aliviar o sistema elétrico brasileiro principalmente nos períodos de escassez hídrica ou grande demanda de energia.

O funcionamento do sistema de energia solar para aquecimento de água é considerado simples. Por meio de coletores, a radiação solar é captada e transformada em calor. Esse calor aquece a água que é transportada por meio de uma tubulação para um reservatório térmico. Feito de material isolante, o reservatório pode conservar essa água quente por até 48 horas. Esse sistema, de custo relativamente baixo, substitui com eficiência os chuveiros elétricos, equipamentos com grande consumo de energia elétrica. Os aquecedores também podem funcionar de forma auxiliar a chuveiros elétricos ou a gás. Em dias de chuva ou baixa incidência solar, o equipamento pode operar de forma associada a esses dois sistemas reduzindo o consumo energético.

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Térmica (Abrasol), a ampliação do uso dos aquecedores solares pode contribuir de forma relevante com o sistema elétrico nacional, reduzindo a demanda nos horários de pico e, ao mesmo tempo, a conta de energia ou gás das famílias, já que para aquecer a água para o banho não seria necessário o acionamento de chuveiros elétricos ou a gás. Segundo a entidade, para aquecimento de água, a energia térmica é mais eficiente e mais barata que a energia fotovoltaica, além de ter uma abrangência maior de aplicações, atendendo instalações residenciais de baixa até alta renda, comerciais, industriais e de serviços.

Custo de instalação pode variar de R$ 1.500 a R$ 5.000

Dependendo da região do Brasil, o custo de aquisição e instalação do sistema de aquecimento solar residencial, que contempla placa coletora e reservatório térmico, pode variar de R$ 1.500, para os reservatórios de 200 litros, a R$ 5.000 para equipamentos de maior capacidade. O tempo de retorno do investimento é de cerca de 24 meses com vida útil de até 25 anos. Após a conclusão do pagamento da instalação do sistema, o usuário terá apenas o gasto da manutenção anual dos equipamentos que varia de R$ 50 a R$ 200.

Presente predominantemente em residências da região Sudeste, a associação defende uma maior disseminação da tecnologia como forma de planejamento e eficiência do sistema energético nacional. Além do uso residencial, a tecnologia também pode ser utilizada por estabelecimentos comerciais e de serviços (lavanderias, academias, restaurantes, clubes e hotéis), indústria, hospitais e para aquecimento de água em piscinas.

“Nós temos a tecnologia e o clima favorável, com a radiação solar favorável para a gente usar. Mas não é só para as residências essa tecnologia. O uso comercial está sendo muito ampliado também. Então, pet shops, salões de beleza, lavanderias, restaurantes, clubes e todo lugar onde se usa a água quente tem potencial para a utilização do aquecedor solar. Então, é um produto que atende à necessidade, sem custo operacional, e que tem uma durabilidade que pode variar de 20 a 30 anos”, avalia o presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Térmica (Abrasol), Luiz Antônio dos Santos Pinto.

Outra utilização relevante é no Programa de Eficiência Energética regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (PEE – Aneel). A instalação desses equipamentos pelas distribuidoras de energia, principalmente em residências de famílias de baixa renda ou contempladas com a Tarifa Social de Energia tem grande potencial de reduzir o consumo de energia dos chuveiros elétricos.

“Vale lembrar que, em uma residência, o aquecedor solar em substituição ao chuveiro elétrico e aquecedores reduz em cerca de 40% a utilização da energia elétrica, o que é uma grande contribuição para os projetos de eficiência energética, principalmente no momento que o valor da conta de luz está cada vez mais elevado”, completa Santos Pinto.

Texto publicado originalmente em

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Mais recente de Blog

Pantanal

O Pantanal é reconhecidamente uma parte do Planeta com características especiais e particulares, características essas que