/

Formação do Pantanal está intimamente relacionada aos Andes

6 minutos de leitura
Pantanal. Imagem: arquivo Ecoa.

Por Agência Brasil, Empresa Brasil de Comunicação

“O Egito é uma dádiva do Nilo”. A frase, do historiador grego Heródoto, pode muito bem servir a outro propósito, bem brasileiro: o Pantanal é uma dádiva dos Andes. Num estudo concluído recentemente, o doutorando Shimeles Fisseha Woldemichael, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAGCA) da USP, comprova um artigo publicado em 1999 pela professora Naomi Ussami, também da Universidade de São Paulo, que relaciona a formação do Pantanal matogrossense com a da Cordilheira dos Andes.

A região do Pantanal está rodeada por cadeias montanhosas de formação antiga, como a Serra da Bodoquena, ao Sul, e a Chapada dos Guimarães, ao Norte. Alguns indícios apontados por Ussami provam que, assim como as serras que a rodeiam, a região do Pantanal também tem sua origem geológica a partir de grandes montanhas formadas numa antiga colisão entre duas placas tectônicas.

O mais comum seria imaginar que os grandes soerguimentos teriam desaparecido por processos erosivos, mas isso cai logo em descrédito quando se sabe que sob a superfície há uma camada de 500 metros formada por sedimentos – camada grande demais para ter surgido do desgaste das antigas formações.

Em estudo iniciado em 1988, Ussami concluiu que a vasta planície alagada do Pantanal é resultado não de erosão, mas sim do soerguimento da placa tectônica onde está o Brasil. Essa placa está se curvando em direção ao centro da Terra e mergulhando no magma quente, processo conhecido por subducção, exatamente sob a região dos Andes.

O peso da Cordilheira exerce uma enorme pressão sobre a borda da placa, e causa uma deformação muito parecida com o que aconteceria se dobrássemos com a mão um pedaço de borracha. Enquanto uma extremidade aponta para baixo, forma-se uma pequena elevação na parte imediatamente anterior. É justamente nessa elevação da placa, chamada de ombreira, que está localizado o Pantanal.

Segundo os levantamentos da pesquisadora, o processo que levou à formação da planície alagada está relacionado à colisão de duas antigas placas, ocorrida na região há 500 milhões de anos, que deu origem inicialmente à Faixa Paraguai, uma cadeia montanhosa muito parecida com o que hoje são os Andes.

Podemos imaginar essa cadeia montanhosa como um fila de dominós deitados, acomodados sobre uma superfície maleável. Conforme dobramos a superfície, criando uma ondulação para cima, as peças do dominó acomodam-se melhor, e deslizam, ficando em posição mais horizontal. É exatamente isso o que acontece conforme a placa tectônica se desloca em direção aos Andes e a ombreira eleva a região sudoeste do Brasil.

Além de explicar a origem do Pantanal, os estudos de Ussami comprovam que a deformação da placa tectônica tem íntima relação com a hidrografia – conforme o terreno é atingido pela ombreira, o sentido e os cursos dos rios são alterados. Usando aparelhos capazes de determinar a constituição de rochas sob a superfície, conhecidos como magneto-telúricos, Shimeles descobriu que sob uma fina camada de sedimentos derivados de quartzo, levados por rios que partem da bacia do Paraná, a Leste do Pantanal, há uma camada muito maior, com grande quantidade de argila e calcário, transportados anteriormente de Oeste para Leste.

Esse calcário transportado da região da bacia do Paraguai em direção ao Pantanal é responsável por uma lenda perpetuada na fala dos moradores da região: “Tudo isso aqui já foi o mar de Xaraiés”, contam os pantaneiros. É verdade que há conchas e formação de lagoas salinas, mas esses eventos estão relacionados a processos continentais, e não à existência de um antigo mar aberto na região.

Futuramente, os levantamentos de Ussami e Shimeles servirão de subsídio para outras pesquisas sobre o processo de assoreamento dos rios pantaneiros, que pode ser provocado mais por ação natural que por interferência humana. (Agência USP)

 

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Mais recente de Blog

Pantanal

O Pantanal é reconhecidamente uma parte do Planeta com características especiais e particulares, características essas que