///

Setenta e duas barragens contra o Pantanal

2 minutos de leitura
Pescador artesanal profissional da Comunidade Tradicional da Barra do São Lourenço (Foto: Jean Fernandes)

– Evento na Câmara dos Deputados em Brasília mostrou o objetivo dos barrageiros.

– Danos ecológicos e econômicos serão irreparáveis.

Barrageiros apresentaram recentemente em Brasília, em audiência na Comissão de Minas e Energia da Câmara Deputados, sua contabilidade/agenda para a destruição do Pantanal: a construção de 72 represas na Bacia do Alto Paraguai (BAP), região que abastece a planície pantaneira. Os defensores das barragens têm como porta-voz a Abragel, Associação Brasileira de Geração de Energia Limpa. Na audiência, a Associação defendeu que mais 72 represas podem ser construídas e enumerou as que já estão em operação.

Estudos da Agencia Nacional de Águas (ANA) envolvendo dezenas de pesquisadores, apontaram os irreparáveis danos que tais empreendimentos causarão para o Pantanal, a começar pela economia por impedir  a reprodução das espécies migratórias de peixes em função do baramento dos cursos de água. Em rios da BAP com barragens, como o Jauru (MT) e o Correntes (MS/MT), os danos ecológicos e econômicos são evidentes. A pesca é a atividade que mais gera trabalho e renda no Pantanal, garantindo a sobrevivência de milhares de ribeirinhos e, em tempos tão difíceis, permite empregos para funcionários das agências de viagens, hotéis, restaurantes e trabalhadores do turismo de pesca. Dentre estes últimos incluem-se os dos estaleiros voltados para os barcos turísticos.

Saiba mais: https://ecoa.org.br/represas/

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Mais recente de Blog

Pantanal

O Pantanal é reconhecidamente uma parte do Planeta com características especiais e particulares, características essas que