Menu

Estudo da Hidrovia no Pantanal tem erros crassos. No grupo que o realizou, nenhum ‘pesquisador’ com trabalho prévio sobre a região

A Universidade Federal do Paraná fez, a um custo de 12 milhões de reais, um “Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental da Hidrovia Paraná-Paraguai (EVTEA)”, no Pantanal

roadhshow
Publicado em 27 de junho de 2018 às 16:37 Compartilhar:

- Além do custo alto, outra surpresa é o fato de que entre as 68 pessoas enviadas por ela para o Pantanal, nenhuma apresentou nos currículos qualquer trabalho anterior na região.

- Partes do EVTEA são apanhados de textos até mesmo contraditórios. A razão seria o fato de que 42,6% dos participantes eram estagiários ou graduandos à época da realização?

- A posição da Ecoa é que o EVTEA não deve ser considerado para qualquer obra relacionada ao Pantanal, tendo em conta sua baixa qualidade.

 

O Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) da Hidrovia Paraná Paraguai apresenta muitos problemas. Certamente uma das causas é a ausência de especialistas com trabalhos prévios sobre a região, principalmente nas áreas de biologia, hidrologia e economia.

Dentre os 68 participantes e responsáveis pelo estudo não foi possível encontrar em seus currículos indicações de que tivessem conhecimento prévio sobre a Bacia do Alto rio Paraguai, onde se localiza o Pantanal, o que explica, em parte, os erros básicos apresentados no estudo e apontados em análise feita pela Ecoa.

Vale ressaltar que 44 participantes (65%) são profissionais com formação nas áreas das engenharias e 29 (42,6%) são indicados como estagiários ou graduandos.

Compartilhar: