/

Frota global de carros elétricos deve chegar a 20 milhões de unidades até junho

3 minutos de leitura

Via ClimaInfo

Uma estimativa da BloombergNEF calculou que a frota global de veículos elétricos deve superar a marca das 20 milhões de unidades até meados deste ano, com a possibilidade de que quase um milhão de veículos sejam adicionados à frota todos os meses no 2º semestre de 2022.

O número impressiona: em 2016, circulavam nas ruas e estradas do mundo apenas um milhão de veículos elétricos; até o final deste ano, a expectativa é de que 26 milhões de carros com motor elétrico estejam circulando em todo o planeta.

A velocidade da adoção global de veículos elétricos é significativa: por exemplo, uma análise da petroleira BP indicava que a frota elétrica chegaria a 71 milhões de unidades apenas em 2035; hoje, a expectativa é de que essa marca seja atingida em 2025, uma década antes. Parte importante do impulso pró-elétricos está no mercado chinês, que correspondeu a 46% do total das vendas. A China é seguida pelos países europeus, que representaram 34% das vendas, e pela América do Norte, com 15%. Em contraposição, no resto do mundo, o avanço da eletrificação ainda é limitado por fatores domésticos, como a falta de infraestrutura e de incentivos governamentais, e econômicos, como o preço ainda salgado dos modelos elétricos.

Na rabeira dessa corrida, o Brasil também registra algum aumento, ainda que bem menor, nas vendas de elétricos. Dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE) mostram que os emplacamentos de carros elétricos cresceram 115% no primeiro trimestre de 2022, com 9.884 unidades registradas, contra 4.582 no mesmo período do ano passado. O crescimento está em linha com o que vem sendo observado nos últimos anos no mercado brasileiro, com um aumento persistente, mesmo que pequeno em termos absolutos, do número de vendas. Se 2022 seguir nessa toada, a expectativa é de que a frota de carros elétricos circulando no Brasil chegue a 100 mil unidades até junho. Estadão e InsideEVs deram mais informações.

Em tempo: Um dos obstáculos para o crescimento do segmento de elétricos no mercado brasileiro é a falta de infraestrutura para recarga nas cidades e estradas do país. Ainda são poucas as alternativas para recarregar as baterias dos carros elétricos brasileiros, e elas são cada vez mais disputadas pelos motoristas. Para identificar os gargalos e encontrar soluções, a Anfavea criou um grupo de trabalho para analisar as necessidades de instalação de carregadores de veículos elétricos. A expectativa do setor é que o país precisará de pelo menos 154 mil pontos de recarga até 2035; hoje, elas somam apenas 1 mil. A Bloomberg Línea destacou essa notícia.

Alíria Aristides

Jornalista no núcleo de comunicação da Ecoa

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Mais recente de Blog