Mas afinal, o que são as Zonas Úmidas?

7 minutos de leitura
(Imagem: Arquivo Ecoa)

Como o próprio nome diz, as Áreas Úmidas são regiões marcadas pela abundância de água. São transições entre ambientes aquáticos e terrestres, onde o solo permanece encoberto por água temporariamente ou durante todo ano. No dia 2 de fevereiro comemora-se o Dia Internacional das Zonas Úmidas.

Estas regiões possuem papel fundamental na manutenção da biodiversidade e para regulação do clima. Além disso, são cruciais para segurança alimentar, já que cerca de 400 milhões de pessoas vivem perto de áreas úmidas e dependem das mesmas para garantir seu sustento.  

Apesar da sua grande importância, as áreas úmidas são pouco faladas (e protegidas). Estima-se que cerca de 87% das áreas úmidas foram perdidas nos últimos 300 anos.

Vamos conhecê-las um pouco mais?

O que são as Zonas Úmidas?

É um ambiente onde a terra permanece coberta por água – salgada, doce, ou um misto das duas – permanentemente ou temporariamente. Este fator determina seu funcionamento e o torna distinto como ecossistema: a vida se adapta à presença da água.

Quais tipos de espécies vivem nestas regiões?

Existe uma variedade gigantesca de espécies que vivem nas áreas úmidas. Por se tratar de um ambiente rico em água, é esperada a presença de muitas espécies de peixes. Mas há também abundância de répteis, anfíbios e pássaros, como espécies migratórias que utilizam os locais para descanso após longas viagens. Também é importante falar sobre a presença dos mamíferos: até grandes felinos como onças-pintadas e tigres encontram abrigo e comida nas áreas úmidas.

Quais são as maiores Zonas Úmidas do mundo?

A maior planície alagável do planeta, partilhada por três países – Brasil, Paraguai e Bolívia – é o Pantanal. Cheias anuais dos rios da região atingem cerca de 80% do Pantanal e transformam a região em um impressionante imensidão de água, afastando parte da população rural que migra temporariamente para as cidades ou vilas. Atualmente, o Pantanal parece se recuperar lentamente da seca extrema dos últimos anos, onde as tradicionais cheias não vieram. Este fator propiciou a propagação dos incêndios que mataram mais de 17 milhões de animais vertebrados em 2020.

Além do Pantanal, também estão entre as maiores zonas úmidas as planícies inundáveis da Sibéria Ocidental, da Bacia do Rio Amazonas e da Bacia do rio Hudson. Já a maior Zona Úmida protegida é a Llanos de Moxos, na Bolívia, com cerca de 70 mil km².

Quais são os tipos de Zonas Úmidas existentes?

As Zonas Úmidas assumem diversas formas e podem ser formadas pela combinação de mais de um tipo. São consideradas áreas úmidas toda a extensão de pântanos, charcos e turfas, várzeas, rios, pantanais, estuários, manguezais e até os recifes de coral. 

Como as Zonas Úmidas combatem as mudanças climáticas?

Apesar de cobrirem uma pequena porção do planeta, as áreas úmidas possuem uma capacidade gigantesca de capturar carbono. São capazes de armazenar 50 vezes mais carbono do que florestas úmidas, auxiliando assim a retirar da atmosfera o principal gás a contribuir para as mudanças climáticas.

As zonas úmidas puxam da superfície da água matérias ricas em carbono como  folhas e dejetos animais. Esses detritos naturais são enterrados então pela água e outros sedimentos. Outra grande vantagem é que o armazenamento é de longo prazo, o que significa que o carbono permanece por muito tempo longe da atmosfera.

O que é a Convenção Ramsar?

A Convenção Ramsar é um importante acordo internacional feito para proteger as áreas úmidas. Aliás, o conceito de área úmida, bem como a data dedicada a este ambiente natural (02 de fevereiro), surgiu durante a Convenção, em 1971, no Irã, quando diversas nações se comprometeram na conservação e no uso sustentável dessas regiões. Atualmente são mais de 2.400 áreas úmidas inclusas no acordo e 168 países signatários do tratado.

Quais são as ameaças que as Áreas Úmidas enfrentam?

Algumas das principais ameaças enfrentadas pelas  Zonas Úmidas são a poluição, mudanças climáticas, hidrelétricas e suas barragens, agricultura e o desenvolvimento urbano e industrial desenfreado.

O que acontece se as Áreas Úmidas desaparecerem?

Esta é uma ameaça real. Segundo o estudo The Global Wetland Outlook, da Convenção Ramsar, um terço destas áreas úmidas desapareceu somente nos últimos 45 anos. Sem Zonas Úmidas, perderíamos uma importante proteção: inundações seriam ainda mais devastadoras para comunidades próximas à cursos d’água e furacões penetrariam ainda mais dentro dos continentes. Os animais destas regiões também seriam extremamente afetados, assim como as populações humanas.  


Com informações de WWF e Ramsar 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Mais recente de Blog

Pantanal

O Pantanal é reconhecidamente uma parte do Planeta com características especiais e particulares, características essas que