Menu

Organizações da Bolívia, Paraguai e Brasil firmam compromisso de estruturar a Rede Pantanal com base em uma agenda de defesa da região

CAUCE Argentina, secretaria da Aliança Paraná Paraguai de Áreas Úmidas, apoia a iniciativa tendo em conta que o Pantanal é parte do território abrangido pelo Sistema

evento-hpp-cuiaba-fotosiasmim-33
Publicado em 5 de julho de 2018 às 19:29 Compartilhar:
evento-hpp-cuiaba-fotosiasmim-33

Pesquisadores, representantes de organizações da sociedade civil e líderes comunitários firmam documento da Rede Pantanal (Foto: Iasmim Amiden)

Organizações da Bolívia, Paraguai, Argentina e Brasil firmaram documento no qual se comprometem com um novo processo de reconstrução da Rede Pantanal, uma organização com larga história, criada na década de 90 do século passado. O objetivo é trazer novamente a Rede para o centro das articulações em defesa do Pantanal e do Sistema Paraná Paraguai de Áreas Úmidas.

A coordenação provisória é composta pelo Instituto Gaia (Secretaria), Probioma (Productividad Biosfera Medio Ambiente)/Bolívia, Sobrevivência – Amigos de la Tierra Paraguay, Ecoa – Ecologia e Ação e ICV (Instituto Centro de Vida).

Um dos marcos estabelecidos foi o de ampliar a mobilização social para fazer frente à continuidade de obras de infraestrutura de alto impacto, o avanço do desmatamento, o uso de agrotóxicos, entre outras ameaças à sociedade e o ambiente.

Dentre os vários processos de graves impactos negativos, o megaprojeto da Hidrovia Paraná Paraguai (HPP), avaliado a partir do novo estudo elaborado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) – com contratação do Departamento de Infraestrutura de Transportes (DNIT) – e as represas na Bacia do Alto rio Paraguai (BAP) são prioridades na agenda, inclusive fazendo parte dos debates de reunião realizada em Cuiabá (O Pantanal – Perspectivas e estratégias)*.

Confira a Carta na íntegra e, abaixo, a lista das organizações comprometidas com a Rede:

Associação dos Ribeirinhos do Rio Correntes – Itiquira, MT
CAUCE (Cultura Ambiental-Causa Ecologista) – Argentina
Centro de Pesquisa do Pantanal (CPP)
Colônia de Pescadores Z-18 – Anastácio, MS
Ecoa – Ecologia e ação
Ecopantanal
FONASC CBH (Fórum Nacional da Sociedade Civil nos Comitês de Bacias Hidrográficas)
ICV (Instituto Centro de Vida).
Instituto GAIA
International Rivers
Probioma (Productividad Biosfera Medio Ambiente)/Bolívia
Rede de Comunidades Tradicionais Pantaneiras
Rede de Mulheres do Cerrado e Pantanal
Sobrevivência – Amigos de la Tierra Paraguay
Sociedade Fé e Vida
Xaraiéis – Cáceres, MT

*Cuiabá – Marco na articulação em defesa do Pantanal

Pescadores, líderes de comunidades pantaneiras, pesquisadores e organizações não governamentais reuniram-se no início de maio em Cuiabá, MT, para atualizar diagnósticos sobre os graves problemas do Pantanal e da Bacia do Alto Rio Paraguai (BAP), promover uma forte articulação entre diferentes grupos, mas também buscar soluções para o desenvolvimento regional.

Acesse aqui mais informações deste encontro.

Compartilhar: