//

Redução de chuvas na Bacia do Alto Paraguai é sinal de alerta para o Pantanal

3 minutos de leitura
Foto: Saul Scharamm / SecomMS

As chuvas na Bacia do Alto Paraguai devem sofrer redução significativa nas próximas semanas, o que é considerado um alerta para o Pantanal. A informação é do Boletim de Monitoramento Hidrológico da Bacia do rio Paraguai, do Serviço Geológico do Brasil – CPRM.

“Estimativas de chuvas por satélite, utilizando o modelo MERGE/INPE, indicam que na bacia do rio Paraguai as chuvas médias estimadas ao longo dos últimos 7 dias apresentaram acumulados de 48.0 mm, enquanto que sobre o bioma Pantanal, acumulados de 51.6 mm foram estimados também para este mesmo período. De acordo com o modelo GEFS/NCEP-NOAA para as próximas semanas está prevista uma significativa redução das precipitações na região”.

A redução de chuvas indica que as águas podem não inundar regiões pantaneiras, como aconteceu nos últimos três anos.

O cenário gera preocupação por também propiciar o alastramento do fogo. Sem a água para alagar a planície, surge uma extensa área de vegetação com imenso potencial combustível para os incêndios. Além disso, o trabalho de contenção do fogo pode ser prejudicado em regiões onde os corixos, canais e baías estão sem água ou trancados por vegetação, impedindo a chegada de brigadistas para combater as chamas.

A Ecoa segue trabalhando com o Prevfogo/Ibama na formação e fortalecimento das Brigadas Comunitárias. A mobilização deve se intensificar principalmente durante o período mais seco e propício para incêndios, o que acontece a partir de agosto.

Ainda de acordo com o boletim do Serviço Geológico do Brasil, devido à redução nas chuvas, o trecho do rio Paraguai em Cáceres passou a apresentar “tendência de declínio” em seu nível. Já em outras estações de monitoramento à jusante no rio, a tendência de elevação do nível se manteve. Entretanto, o boletim ressalta que os níveis atuais ainda estão próximos da zona de atenção para valores mínimos.

Cotas atuais (cm) e as variações dos últimos dias nas estações da Bacia do rio Paraguai. (Fonte: Serviço Geológico do Brasil)

Acesse o Boletim de Monitoramento Hidrológico da Bacia do rio Paraguai, na íntegra, aqui.

Alíria Aristides

Jornalista no núcleo de comunicação da Ecoa

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Mais recente de Blog